Voltar à página inicial
Youtube Facebook Twitter Orkut

Arquivo

Textos com Etiquetas ‘Evangelho comentado’

A discussão entre os apóstolos

5, julho, 2012 7 comentários

Evangelho comentado: São Lucas 22. 24-30

Levantou-se, então, entre os discípulos uma discussão sobre qual deles pareceria maior.

Comentário: Renovam os Apóstolos esta discussão sobre a primazia, porque, estando Jesus para morrer, queriam saber quem havia de ser entre eles o chefe, ou talvez quem teria o primeiro lugar no reino temporal, que, segundo pensavam, o Mestre havia de fundar sobre a terra.

Mas Jesus lhes disse: “Os reis das nações as dominam com império, e os que exercem poder sobre elas são chamados benfeitores. Quanto a vós, porém, não seja assim; pelo contrário, o que é maior entre vós se torne como o menor, e o que tem a precedência seja como o que serve. Pois qual é o maior: o que está à mesa, ou aquele que serve? Não é o que se acha à mesa? Ora; eu estou nomeio de vós, como aquele que serve.

Para vós, que me permanecestes fiéis nas minhas tentações, eu vos preparo um reino, como meu Pai o preparou para mim, a fim de que chegueis a comer e beber, à minha mesa, no meu reino, e vos senteis sobre tronos, para julgar as 12 tribos de Israel”.

Comentário: A todos vós está preparado no céu um lugar de honra e dignidade, a vós que não abandonastes nos meus sofrimentos e contradições. Mas, assim como é disposição do Pai que entre eu na posse do meu reino pela tribulação, assim também vós, por meio do sofrimento, deveis entrar no reino que vos está preparado. Então recebereis, com a glória do céu, o altíssimo poder de julgar, no último dia, a todos os homens.

 Extraído do livro: Concordância dos Santos Evangelhos. D. Duarte Leopoldo e Silva

«Lançar fogo sobre a terra»: o dom do Espírito Santo

23, outubro, 2011 9 comentários

São Lucas 12,49-50.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: “Eu vim trazer fogo (do amor divino) sobre a terra; e o que quero eu, senão que ele se ascenda? Eu tenho de ser batizado num batismo (de sangue); e quão grande é a minha ansiedade até que ele se conclua!”

Comentário ao Evangelho do dia feito por  Santa Faustina Kowalska (1905-1938), religiosa

Pequeno diário, 1411

 «Lançar fogo sobre a terra»: o dom do Espírito Santo (Act 2,3)

Santa Faustina

Ó Espírito de Deus, espírito de verdade e de luz,

Permanece constantemente na minha alma pela Tua graça divina.

Que o Teu sopro dissipe as trevas

E que na Tua luz as boas acções se multipliquem.

 

Ó Espírito de Deus, Espírito de amor e de misericórdia,

Que derramas no meu coração o bálsamo da confiança,

A Tua graça confirme a minha alma no bem,

Dando-lhe uma força invencível: a constância!

 

Ó Espírito de Deus, Espírito de paz e de alegria,

Que reconfortas o meu coração sedento,

Que derramas nele a fonte viva do amor divino,

E o tornas intrépido na luta.

 

Ó Espírito de Deus, ó mais amoroso hóspede da minha alma,

Eu desejo, por meu lado, ser-Te fiel,

Tanto nos dias de felicidade como nas horas de sofrimento;

Desejo, Espírito de Deus, viver sempre na tua presença.

 

Ó Espírito de Deus, que impregnas o meu ser

E me fazes conhecer a Tua vida divina e trinitária,

Tu me inicias no Teu Ser divino;

Unida assim a Ti, tenho a vida eterna.

Fonte: Evangelho Quotidiano

 

Sobre esta pedra, edificarei a Minha Igreja

29, junho, 2010 5 comentários

Todos os apóstolos são «pilares da terra» (Sl 74,4), mas são-no em primeiro lugar os dois cuja festa celebramos. Eles são os dois pilares que conduzem a Igreja, através dos seus ensinamentos, da sua oração e do exemplo da sua perseverança. Estes pilares foram alicerçados pelo próprio Senhor. Inicialmente, eram fracos e não eram capazes de guiar, nem a si próprios, nem aos outros. E aqui aparece o grande desígnio do Senhor: se tivessem sido sempre fortes, poder-se-ia pensar que a sua força vinha deles. O Senhor, antes de os fortalecer, também quis mostrar aquilo de que eram capazes, para que todos soubessem que a sua força vem de Deus.

O Senhor é que fundou estes pilares da terra, ou seja, da Santa Igreja. É por isso que devemos louvar com todo o coração os nossos santos pais, que suportaram tantos tormentos pelo Senhor e que perseveraram com tanta força. Perseverar na alegria, na prosperidade e na paciência não vale grande coisa. Grande é aquele que é apedrejado, chicoteado, agredido por amor a Cristo, e em tudo isso persevera com Cristo (2Cor 11, 25). É grande ser amaldiçoado e abençoar com São Paulo [...], ser como a escória do mundo e disso tirar glória (1Cor 4, 12-13). [...] E que dizer de São Pedro? Mesmo que nada tivesse suportado por Cristo, bastava ter sido crucificado por Ele para o festejarmos até hoje. A cruz foi a sua estrada.

Fonte: Evangelho Cotidiano