Voltar à página inicial
Youtube Facebook Twitter Orkut

Arquivo

Textos com Etiquetas ‘Imagem do Sagrado Coração de Jesus’

ORIGEM DA DEVOÇÃO AO SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS

5, junho, 2014 15 comentários

Uma imagem do Coração de Jesus em sua casa

Na sexta-feira depois da oitava da festa do Corpo de Deus, celebra-se a festa do Sagrado Coração de Jesus. De acordo com os desejos de Nosso Senhor, manifestados a Santa Margarida Maria Alacoque, deve ser dia de reparação, pela ingratidão, frieza, desprezo e sacrilégios que muitas vezes sofreu na Eucaristia, por parte de maus cristãos, e às vezes até por parte de pessoas que se presumem piedosas.

Em todas as igrejas se fazem, neste dia, solenes atos coletivos de reparação. Para estimular os cristãos e retribuir tantas e tão grandes provas de amor do divino Coração de Jesus, a Santa Igreja dedica à sua veneração, não só a primeira sexta-feira de cada mês, mas também um mês inteiro, o mês de junho.

No dia 16 de junho de 1675, durante uma exposição do Santíssimo Sacramento, Nosso Senhor apareceu a Santa Margarida Maria Alcoque e, descobrindo seu Coração, disse-lhe:

“Eis o coração que tanto tem amado aos homens e em recompensa não recebe, da maior parte deles, senão ingratidões pelas irreverências e sacrilégios, friezas e desprezos que tem por Mim neste Sacramento de Amor”.

 Quem é devoto do Sagrado Coração de Jesus?

Tem devoção ao Sagrado Coração de Jesus, quem considera o amor que Jesus Cristo patenteou na sua vida, na morte e no SSmo Sacramento, quem considera os afetos, os sofrimentos da alma de Jesus Cristo.

É devoto do Sagrado Coração de Jesus, quem ama a Jesus Cristo, imita suas virtudes; quem Lhe faz reparação honorífica em compensação aos ultrajes que recebe, para corresponder ao amor que Ele tem a nós.

O Sagrado Coração de Jesus, na “GRANDE PROMESSA”, concedeu a inestimável graça da perseverança final aos que comungarem na primeira sexta-feira de nove meses seguidos. Pelo que se introduziu o exercício de devoções em honra do Sagrado Coração, na primeira sexta-feira de cada mês.

Além da graça prometida, ganha-se uma indulgência plenária (Comunhão, reparação, oração e meditação por algum tempo sobre a infinita bondade do Sagrado Coração). (Pe. Réus: “Orai”)

Jesus, portanto, quer que Lhe demos amor e reparação das ofensas contra a Eucaristia, honrando e venerando o seu divino Coração.

E como para nos obrigar a isto, fez as seguintes magníficas promessas, em que fala a misericórdia do seu Sagrado Coração:

AS PROMESSAS

 1) Dar-lhes-ei todas as graças necessárias ao seu estado.

2) Porei paz em suas famílias.

3) Consolá-los-ei em todas as suas aflições.

4) Serei o seu refúgio na vida e principalmente na morte.

5) Derramarei abundantes bênçãos sobre todos os seus empreendimentos.

6) Os pecadores acharão no meu Coração o manancial e o oceano infinito de misericórdia.

7) As almas tíbias tornar-se-ão fervorosas.

8) As almas fervorosas altear-se-ão, rapidamente, às eminências da perfeição.

9) Abençoarei as casas, onde se expuser e venerar a imagem do meu Sagrado Coração.

10) Darei aos sacerdotes o dom de abrandarem os corações mais endurecidos.

11) As pessoas que propagarem esta devoção, terão os seus nomes escritos no meu Coração, para nunca dele serem apagados.

12) A GRANDE PROMESSA: Prometo-te, pela excessiva misericórdia e pelo amor todo-poderoso do meu Coração, conceder a todos que comungarem nas primeiras sextas-feiras de nove meses consecutivos, a graça da penitência final, que não morrerão em minha inimizade, nem sem receberem os seus sacramentos, e que o meu divino Coração lhes será seguro asilo nesta última hora.

 

O que faz, na terra, o Espírito Santo? Parte II

27, maio, 2014 12 comentários

Parte I

Quanto aos homens, o Espírito Santo veio para ensinar toda a verdade, para consolar e para fortalecer. Toda a verdade foi revelada pelo Espírito Santo aos Apóstolos. A Revelação termina com o último apóstolo, que foi São João Evangelista.

A Igreja Católica Apostólica Romana foi instituída para defender, guardar, explicitar e propagar as verdades Reveladas por Nosso Senhor Jesus Cristo e pelo Espírito Santo aos apóstolos. O Espírito Santo, com sua assistência, assegura a fidelidade da Igreja à verdade revelada, na Sagrada Escritura bem como na Tradição, garantindo assim que o ensinamento de Cristo chegue até o final dos tempos.

Foi o Espírito Santo que deu a coragem e o zelo missionário aos apóstolos, para que eles propagassem a boa-nova do Evangelho até os confins da terra.

O Espírito Santo nos ensina a verdade iluminando as nossas inteligências, para que possamos conhecer e aderir às verdades reveladas por Cristo e por Ele, através do Magistério da Santa Igreja.

Também quanto aos homens, o Espírito Santo veio para consolá-los. Ele veio sustentar os justos nas provações da vida cristã, para ajudá-los nas desgraças.

Veio para nos encorajar no bom caminho, neste vale de lágrimas em que vivemos. O Espírito Santo veio para nos unir em tudo a Nosso Senhor Jesus Cristo.

E Ele veio consolar não só os pecadores, mas também os justos, ferindo-os com o remorso, estimulando-os ao arrependimento, fazendo-os ver que o perdão dos pecados e a mudança de vida é perfeitamente possível.

Ainda quanto aos homens, o Espírito Santo veio fortalecê-los, para que possam resistir a todas as adversidades desse mundo e aos ataques do demônio e dos outros espíritos malignos que vagueiam pelo mundo para perder as almas.

Nesse combate, contra esse ambiente anticatólico em que as pessoas vivem totalmente esquecidas de Deus e entregues por completo à vida mundana, é necessária essa fortaleza dada pelo Espírito Santo.

Precisamos dessa fortaleza para resistir às falsas máximas do mundo, tal como esta: “Deus é bom e compreensivo, não vai nos condenar por nos divertirmos um pouco; vestir-se segundo a moda, divertir-se muito, é isso que se deve procurar; o principal é a saúde e uma vida longa”…

Precisamos da assistência do Espírito Santo para resistir às zombarias e perseguições do mundo contra a autêntica vida de piedade, contra as pessoas que se vestem de modo honesto e decente, contra a delicadeza de consciência na profissão e em todas as ações.

Precisamos dessa fortaleza dada pelo Espírito Santo para resistir às zombarias contra as leis santas do matrimônio, leis que o mundo julga antiquadas ou impossíveis de serem praticadas, leis que o mundo subverte completamente.

É preciso dessa fortaleza para resistir aos escândalos e maus exemplos praticamente onipresentes, bastando sair às ruas para vê-los, ou abrir um jornal…

Precisamos dessa fortaleza para resistir às diversões cada vez mais abundantes e refinadas e imorais: teatros, músicas, filmes, danças, praias, piscinas, jornais, revistas, modas indecentes, conversas torpes, piadas provocadoras, frases de duplo sentido. O mundo parece nos indicar que para se divertir é preciso pecar.

Finalmente, com relação a Nosso Senhor Jesus Cristo, o Espírito Santo veio para glorificá-lo. Jesus, com sua vinda à terra, glorificou Deus Pai, com sua obediência, com sua doutrina e com seus milagres.

Deus Filho glorificou o Pai, dando testemunho do Pai. Deus Espírito Santo veio para que Deus Filho seja glorificado, isto é, para que Nosso Senhor seja conhecido, amado e servido. O Espírito Santo, assistindo a Igreja, propagou por toda a terra a verdade sobre Deus e sobre seu amor por nós.

Que grande graça é para nós a vinda do Espírito Santo, afastando-nos do pecado de injustiça contra as pessoas virtuosas, e levando-nos a Nosso Senhor Jesus Cristo ao nos ensinar a verdade, ao nos consolar e nos fortalecer.

Fonte: baseado em www.saopiov.org

Como aprender a perdoar, a ser humilde, a caridade e a bondade

8, março, 2014 8 comentários

“Começou, depois, a ensinar-lhes que o Filho do Homem tinha de sofrer muito”

Jesus bendito, que me ensinaram os homens que Vós não me tenhas ensinado na Vossa cruz? Ontem vi claramente que só aprendemos acorrendo a Vós e só Vos nos dás forças nas provas e tentações; que somente ao pé da vossa cruz, vendo-Vos pregado a ela, aprendemos o perdão, a  humildade, a caridade, a bondade.

Não Vos esqueçais de mim, Senhor; olha para mim, prostrado na vossa frente, e concede-me o que Vos peço. Depois, que venham os desprezos, que venham as humilhações […], que me importa! Convosco a meu lado tudo posso. A lição prodigiosa, admirável, inexprimível que me dás com a vossa cruz dá-me forças para tudo.

Cuspiram-Vos, insultaram-Vos, flagelaram-Vos, pregaram-Vos a uma cruz e, sendo Vós Deus, perdoastes, calastes-Vos humildemente e oferecestes-Vos a Vós próprio. Que posso dizer da vossa Paixão? É melhor não dizer nada e que, no fundo do meu coração, medite no que o homem nunca poderá chegar a compreender; que me contente com amar profundamente, apaixonadamente, o mistério da vossa Paixão. […]

Que doce é a cruz de Nosso Senhor Jesus Cristo! Que doce é sofrer perdoando! [...] Como não ficar louco? Ele mostra-me o seu coração aberto aos homens e por eles desprezado. Onde já se viu e quem alguma vez sonhou suportar tamanha dor? Como vivemos bem no Sagrado Coração de Nosso Senhor Jesus Cristo!

 Fonte: Evangelho Quotidiano

Por que se glorifica o Santíssimo Nome de Jesus?

13, novembro, 2013 6 comentários

A Festa do Santíssimo Nome de Jesus é celebrada de diversas formas desde tempos imemoriais. Porém, entrou no calendário Católico Romano no fim da Idade Média.

Santíssimo Nome de Jesus, catedral de Salvador, Bahia

A festa foi alargada para toda a Igreja Católica Romana em 20 de Dezembro de 1721, pelo papa Inocêncio XIII. Mas, o dia exato varia segundo o calendário de Natal.

Por que essa insistência especial no Nome de Jesus?

Por que grandes santos da Igreja afugentavam os demônios com o Nome de Jesus?

Quando fazemos algo de muito importante. Por exemplo, no início da Missa o padre se persigna; por ocasião da leitura de um testamento, diz-se: “Em nome da Santíssima Trindade, Padre, Filho e Espírito Santo, eu, Fulano de tal, faço meu testamento.”

Pela ordem profunda das coisas – que foi truncada pelo pecado original – , a linguagem humana era capaz de exprimir adequadamente as coisas, dando-lhes um nome adequado.

Esse nome era uma palavra que definia aquilo que havia de mais íntimo no ser para o qual dava o nome.

Assim, o Gênesis conta que ao passarem os animais diante de Adão, ele foi dando a cada um seu nome. E esse dar o nome era dar uma palavra que exprimisse adequadamente o ser de cada um.

Assim, por exemplo, quando dizemos “águia” não há uma relação necessária entre a palavra “águia” e aquilo que é o típico da águia. É uma coisa convencional, em outras línguas civilizadas usam-se outras palavras igualmente legítimas.

Mas na linguagem usada por Adão era diferente. Havia uma relação verdadeira e profunda entre a música e a estrutura da palavra “águia” e a realidade da águia.

Então o Santíssimo Nome de Jesus é, de um modo misterioso, a própria definição daquilo que na Pessoa adorável de Nosso Senhor Jesus Cristo existe de mais capaz de mencionar aquilo que Ele é.

Nesse sentido, o nome é um símbolo da pessoa, e o nome de Jesus é um símbolo de Jesus. É um símbolo sacratíssimo que tem o poder de atrair as graças sobre nós e de causar terror dos demônios.

O Nome de Jesus se resume nas iniciais IHS, Jesus Salvador dos Homens, que se colocam em certos papéis e embaixo da Cruz.

A Cruz e o Nome de Jesus são os dois símbolos perfeitos.

O Nome de Jesus é a manifestação de sua glória. E se queremos a glorificação do Nome de Jesus, queremos a glorificação do Nome de Maria.

O que quer a Igreja quando glorifica o Nome de Jesus? Ela quer que o Nome de Jesus esteja por cima de todas as coisas e que tudo lhe esteja sujeito.

Portanto, Ela quer uma ordem sacral, uma ordem baseada na única Fé verdadeira que é a Católica, Apostólica e Romana.

Ela quer uma ordem que nada tenha de laicista, de igualitário.

A festa do Nome de Jesus é uma das numerosas festas da sacralidade, da hierarquia e da civilização cristã.

É adequado pedirmos que o Nome de Jesus seja cercado de toda a glória. Quer dizer, que Jesus seja conhecido, adorado, reverenciado por todos os homens, sendo reverenciadas as coisas que são conformes a Ele.

E se o laicismo, o caos, a blasfêmia querem ser a Revolução, então devemos desejar que a Contra-Revolução vença, porque a Contra-Revolução é a própria vitória do Nome de Jesus.

A festa é celebrada em diferentes dias, geralmente no mês de janeiro. As mais frequentes são o Domingo entre 2 e 5 de Janeiro, ou no primeiro dia livre após 1º de Janeiro, nomeadamente 3 desse mês.

(Autor: Plinio Corrêa de Oliveira, 01/01/1965. Sem revisão do autor)
Fonte: Blog Orações e Milagres Medievais

Assista ao vídeo e reflita se em sua casa é assim

7, novembro, 2013 24 comentários


“Este filme me fez recordar de quando em 2011 pedi ao meu marido que me desse de presente de aniversário o quadro com a imagem do Sagrado Coração de Jesus, mas perto do meu aniversário falei com ele que em vez do quadro, eu queria uma passagem para fazer uma viagem de proposta de trabalho.

E ele me disse assim: “Não faça essa viagem, fique aqui. Vai aparecer uma proposta melhor de emprego e você terá a imagem do Sagrado Coração de Jesus em nossa casa”.

Entretanto, naquele momento eu não dei ouvidos a ele e acabei viajando. E antes da resposta da admissão do emprego sair, aconteceu o pior: meu marido faleceu aos 27 anos vítima de suicídio, uma morte que é frequente na família dele,e eu nem estava por perto para de alguma forma ajudá-lo.

Só depois de algum tempo percebi que a Imagem Sagrada que ele iria me dar de presente era pra nos proteger das ciladas do maligno. O meu marido parece que estava pressentindo que algo de ruim estava pra acontecer ,embora fosse uma pessoa que não demonstrasse nenhum tipo de tristeza.

Eu tive a oportunidade de ter obtido a imagem na minha casa, mas prefeir outra coisa. Por isso eu digo:

OBTER O QUADRO COM A IMAGEM DO SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS E COLOCÁ-LA DENTRO DO NOSSO LAR É DE GRANDE BÊNÇÃO E LIVRAMENTO. -  D. A. N -

Veja aqui como receber a estampa do Sagrado Coração de Jesus