Voltar à página inicial
Youtube Facebook Instagram

Arquivo

Textos com Etiquetas ‘medalha de São Bento’

MEDALHA DE SÃO BENTO: Veja como receber até 5 Medalhas de São Bento em sua casa, pelo correio

26, abril, 2016 3 comentários
WhatsApp

 

Está mais do que provado: NINGUÉM está totalmente livre das insígnias de Satanás.

A Medalha de São Bento já reuniu MILHARES de testemunhos no mundo todo, contra as influências demoníacas que atormentam as almas.

 

Clique aqui  e veja como você pode receber a sua Medalha de São Bento;

Clique aqui  para receber este sacramental que pode proteger a você e sua família dos males físicos e espirituais;

Clique aqui   para que a  Medalha de São Bento exorcística chegue em sua casa o quanto antes.

.

Lembre-se: estamos numa verdadeira luta espiritual. E você, como está se protegendo?


VEJA AQUI COMO RECEBER A SUA MEDALHA DE SÃO BENTO

 .
.
.
*  *  *

.

 

 

Não importa o que aconteça, olhe sempre para cima! Veja o que aconteceu com essa garotinha ao levantar a cabeça.

12, março, 2016 1 comentário
WhatsApp

Olhar para cima sempre, olhar para Deus!

.
Um conto para refletir!

.
Uma menina que brincava nas proximidades de um precipício sentiu, de repente, o terreno ceder sob seus pés, e antes que tivesse tempo de se firmar num apoio qualquer, escorregou até a beira do abismo e caiu.

Levada pelo instinto, agarrou-se a um tufo de grandes ervas que cresciam numa saliência da rocha.

Os seus pequeninos dedos firmaram-se ali e impediram a queda fatal.

Assim suspensa, pôs-se a gritar a menina incessantemente por socorro.

.
Os minutos pareciam-lhe séculos. Alguns instantes depois ela ouviu uma voz que lhe recomendava em tom animador: “Olha sempre para cima!”

.
Instintivamente a menina obedeceu; não olhou mais para baixo e conservou os olhos fixos na parte mais alta do rochedo.

De novo a voz repetiu a mesma ordem, mais perto dela. Passado um momento, ei-la amparada nos braços de seu pai e salva da morte!

Nós também, queridos amigos, não devemos cessar de olhar para cima, isto é, para Deus!

.
.

Deus misericordioso! Tu és o verdadeiro sol do mundo, que sempre brilhas e nunca tens ocaso;

Que, por Teus raios mais benéficos e por Tua luz avivas e alegras todas as coisas no céu e na terra;

Rogamos-Te que misericordiosamente brilhes em nossos corações para que a noite e a escuridão do pecado, e as névoas do erro de todos os lados;

Sejam dissipadas pelo brilho da Tua luz em nossos corações, e nós puros e limpos das obras das trevas, alcançando as bênçãos abundantes que tens preparado para nós.

.

.
.

*  *  *

Clique aqui e veja e veja como receber pelos correios essa PODEROSA Medalha de São Bento, já benta por um sacerdote.

Conte com a proteção infalível de São Bento em sua vida.

.
.

.
.
Fonte: Autor: (D.) – Lendas do Céu e da Terra – Extraído do blog Almas Castelos 

.

MENSAGEM EM ÁUDIO! Saiba quais são as artimanhas do demônio e como se livrar delas. Ouça grátis.

26, fevereiro, 2016 4 comentários
WhatsApp

Hoje, o Conselheiro de Apostolado, Guilherme, vai falar sobre algo muito importante e que tem relação direta com nossas vidas.
Clique no botão laranja abaixo e ouça atentamente.

.

.
.
*  *  *

.Clique aqui e veja e veja como receber pelos correios essa PODEROSA Medalha de São Bento, já benta por um sacerdote.

Conte com a proteção infalível de São Bento em sua vida.

.
.
.
.
.

Milagres de cura – a Medalha de São Bento também já fez… MUITOS! (Parte III)

30, março, 2015 3 comentários
WhatsApp

Continuação do post: Milagres de cura – a Medalha de São Bento também já fez… MUITOS!
(Parte II)

Na Pensylvania, nos Estados Unidos, em agosto de 1861, uma mulher católica teve uma de suas filhas atacada de repente por uma violenta difteria.

O mal, que havia começado ao cair da noite, foi se agravando de hora em hora, e já causava grande inquietação, sobretudo porque era muito difícil encontrar um médico nas montanhas
da região.

A mãe da menina tinha muita fé na proteção de São Bento, e possuía a sua medalha. Teve então a lembrança de mergulhá-la num copo de água, para a menina beber.

A menina bebeu a água santificada pelo contato com a medalha, e ao amanhecer do dia seguinte já se encontrava inteiramente fora de perigo.

Cura milagrosa de uma paralisia

Em Montauban, em 1865, uma senhora doente estava sem movimento, deitada em sua cama havia dois anos e meio, e tudo levava a crer que ficasse paralítica para o resto da vida.

Um dia em que lhe haviam trazido a Sagrada Comunhão, uma Irmã da Caridade, que tinha ido visitá-la, colocou-lhe com dificuldade a medalha de São Bento entre os dedos, e conseguiu com grandes esforços levar a mão da enferma a seu peito.

A enferma logo sentiu uma viva comoção em todo o seu ser, começou a transpirar abundantemente, e deixou escapar dos lábios estas palavras:
Estou curada”.

Imediatamente voltou-lhe o movimento aos membros, e ela apressou-se em levantar-se.

Desvencilhou-se por si mesma das flanelas que havia tanto tempo a envolviam, e vestiu-se com a roupa que usava antes de cair enferma. Dirigiu-se, logo no dia seguinte, à Igreja, a fim de dar graças a Deus pela cura repentina.

*   *   *

Fonte: retirado do livro “A Medalha de São Bento” de D. Próspero Guéranger.

Milagres de cura – a Medalha de São Bento também já fez… MUITOS! (Parte II)

28, março, 2015 5 comentários
WhatsApp

Continuação do post: Milagres de cura – a Medalha de São Bento também já fez… MUITOS!
(Parte I)

No verão do mesmo ano de 1858, a cólera produzia seus estragos em Tívoli, na Itália,

E perto de Subiaco achava-se um homem lutando com dores atrozes. Em poucas horas, a terrível moléstia fez tão grande progresso, que mandou-se às pressas chamar o pároco para lhe ministrar os últimos Sacramentos.

Antes que chegasse o cura, agravou-se de tal modo o perigo, que o doente julgou-se perdido e caiu na mais completa atonia, produzida pela violência do mal.

De repente volta a si e, sentindo retornarem os padecimentos, aperta fortemente com as mãos o estômago sujeito a violentos espasmos, encontrando então a medalha de São Bento que trazia habitualmente consigo.

Ocorreu-lhe invocar o santo Patriarca, pelo qual tinha grande veneração.

No mesmo instante acalmam-se as dores; em seguida, levanta-se, sai da cama e, vendo chegar o cura todo ofegante e coberto de suor, diz-lhe: “Padre, estou curado”; e, mostrando a medalha, continua: “Eis o que me salvou!”

Esse homem apresentou-se pouco depois à abadia dos beneditinos de São Paulo de Roma, levando os atestados do sacerdote e do médico que asseguravam a realidade do prodígio.

Cura das pernas

Em 1861, em Chambéry, uma religiosa sentia, havia já três meses, dores fortíssimas nas pernas.

Ocorreu-lhe fazer uma novena em honra de São Bento, empregando a medalha a fim de alcançar a proteção do santo Patriarca. Durante a novena, encostava a medalha nas pernas, invocando São Bento, e suas dores se acalmavam.

Ao mesmo tempo, ela ia prosseguindo o serviço pesado de que era encarregada no convento.

Não tendo conseguido, com a primeira novena, senão alívios intermitentes, resolveu começar uma segunda, a qual fez desaparecer inteiramente
a enfermidade.

Cura de uma pobre menina

Numa localidade de Saboia, mais ou menos pela mesma época, uma menina de seis anos era, desde muitas semas atormentada por dores agudas.

Seus nervos se tinham de tal modo contraído, que não se podia tocá-la com a ponta do dedo sem que ela sentisse fortíssimas dores.

Nesse estado, não podia aceitar alimento ou bebida de espécie alguma. Os pais da menina já tinham perdido totalmente a esperança de conseguir sua cura.

Duas religiosas foram visitar a menina, para levar à sua mãe algum conforto. Quando retornaram para sua casa, ocorreu-lhes a lembrança da medalha de São Bento.

No mesmo instante mandam uma, recomendando que a pusessem no pescoço da menina, e que tentassem fazê-la engolir alguma bebida em que se houvesse mergulhado a medalha.

A mãe da enferma cumpriu fielmente a piedosa prescrição, e imediatamente se fez sentir um notável alívio. Ao cabo de alguns dias, levanta-se a menina perfeitamente curada.

(Continua…)

*   *   *

Fonte: retirado do livro “A Medalha de São Bento” de D. Próspero Guéranger.